Congelamento de Sêmen

Congelamento-de-Semen-02

O congelamento de sêmen é uma alternativa para pacientes que vão se submeter a tratamento oncológico ou qualquer outra condição que possa comprometer sua fertilidade. As amostras são congeladas em um meio crioprotetor – que impede a formação de cristais e reduz os danos que o congelamento causa às células – e mantidas em nitrogênio líquido à temperatura de -196ºC, podendo permanecer congeladas por tempo indeterminado.

Amostras de sêmen podem ser congeladas como uma espécie de seguro, garantindo, no futuro, a obtenção de espermatozóides viáveis, que não foram expostos aos agentes agressores. É o caso, por exemplo, de homens que decidem realizar uma vasectomia, ou seja, se tornar estéreis. Muitos têm o objetivo de evitar filhos no presente, mas não desejam excluir a possibilidade de uma a gestação mais adiante. Além disso, o congelamento de sêmen também é de grande importância para casais que já estão realizando o tratamento de reprodução assistida quando não existe a possibilidade do homem estar presente no dia da coleta de óvulos da esposa.

Fora as amostras congeladas para uso próprio, no banco de sêmen também são armazenadas amostras de doadores que serão utilizadas por casais cujo homem não produz espermatozóides ou por mulheres sem parceiro. A doação de sêmen tem como objetivo propiciar o tratamento da infertilidade conjugal na ausência total de espermatozóides ou por risco de transmissão de doenças genéticas de origem paterna. Além disso, permite também a realização da maternidade àquelas mulheres sem parceiro.

Segundo a resolução 1358/92 do Conselho Federal de Medicina, de 30 de setembro de 1992, a doação de gametas deve ser anônima, ou seja, o doador não conhecerá o casal a quem o sêmen for doado, nem as possíveis crianças geradas. Da mesma forma, o casal ou mulher receptora não terá acesso à identidade do doador. Entretanto, como ainda não existe uma lei brasileira a respeito do assunto, possíveis questões de conhecimento da paternidade podem ser requeridas à Justiça Nacional pelo indivíduo gerado, na idade adulta. As doações são voluntárias e gratuitas, não cabendo ao doador nenhuma forma de ressarcimento.