30-01-2018

Inseminação intra uterina ou Fertilização in vitro?

Inseminação intra uterina ou Fertilização in vitro?

Para muitos casais, a reprodução assistida se torna uma das alternativas para que consigam realizar o sonho de ter filhos. Porém, os métodos ainda geram dúvidas. Afinal, qual é a diferença fertilização in vitro e inseminação artificial? Um é melhor que o outro?

Inseminação intra uterina

Essa técnica é de baixa complexidade e está reservada para os casos mais simples de infertilidade, como a síndrome dos ovários policísticos nas mulheres ou leves alterações do sêmen nos homens. A Inseminação artificial ou intrauterina pode ser indicada também em casais homoafetivos femininos ou mulheres que querem engravidar por produção independente.

Na Inseminação artificial a mulher deve usar medicamentos para produzir crescimentos dos óvulos e induzir a ovulação. Esse crescimento pode ser acompanhado por um exame de ultrassonografia. Essa fase dura aproximadamente 10 dias, quanto então é administrado um outro medicamento que induzirá a ruptura dos folículos para liberação dos óvulos. Nesse momento, o sêmen do homem é coletado, preparado no laboratório e transferido para o interior do útero da mulher através de um cateter. Uma vez dentro do útero, esses espermatozoides terão que chegar até as trompas uterinas, encontrar o óvulo e fertilizá-lo naturalmente. Cerca de 16 dias depois é realizado o teste de gravidez.

Fertilização in vitro(FIV)

Na fertilização in vitro, diferente da inseminação, grande parte do processo ocorrerá no laboratório. Apesar da fertilização in vitro ser indicada tanto em casos mais simples de infertilidade como nos casos mais complexos, seus resultados são superiores ao da inseminação.

A primeira fase da fertilização in vitro é a estimulação dos ovários com medicamentos. O processo pode ser acompanhado com exames de ultrassonografia. No momento certo, a mulher será encaminhada ao centro cirúrgico para captação dos óvulos, que será feita por via vaginal, através de uma punção guiada também por ultrassonografia.

Os óvulos são então encaminhados ao laboratório onde deverá ocorrer a fertilização. Temos agora duas opções:

            – Na forma clássica, os espermatozoides são colocados ao redor dos óvulos e esperamos que eles façam o trabalho de fertilizar o óvulo.

            – Uma segunda opção é a injeção intra-citoplasmática(ICSI). Cada vez mais comum, nesse caso o espermatozoide é injetado dentro do óvulo, tudo guiado pelo microscópio.

A partir daí os embriões vão para uma incubadora onde o ambiente é controlado. Temperatura, humidade e a mistura dos gases são fundamentais para que o embrião se desenvolva. Após alguns dias, havendo desenvolvimento, os embriões são transferidos para o útero materno através de um cateter.

             

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *