Preservação da Fertilidade

Preservar a fertilidade significa guardar os gametas (óvulos e espermatozoides) congelados para uso futuro. O tratamento para o câncer que salva vidas, pode destruir completamente as chances de se ter um filho. Além disso, toda mulher deve ter consciência de seu relógio biológico ovariano.

relogio

Meninas nascem com aproximadamente dois milhões de óvulos. Na adolescência, quando chega a primeira menstruação, esse número é reduzido para mais ou menos 400.000. Posteriormente, a mulher vai perder em torno de mil óvulos a cada mês (ciclo menstrual), até que nenhum reste ou “funcione”. Nesse ponto, a menopausa se inicia. O ritmo desta perda de óvulos inexorável durante o amadurecimento da mulher não é afetado pelas pílulas anticoncepcionais, gestações, suplementos nutricionais, estilo de vida ou aparência jovial.

A maioria das mulheres (98%) é fértil no início da terceira década de vida (20 a 25 anos). No entanto, em torno dos 35 anos, a incidência da infertilidade cresce para aproximadamente 30%. Determinar quando cada mulher ultrapassa a fronteira entre a fertilidade e a infertilidade é um dos grandes dilemas que muitas enfrentam na vida, principalmente as que não conseguiram engravidar no seu momento biológico ideal. Este estado de “infertilidade” do ovário é o chamado “relógio biológico”, ou seja, quando o ovário começa a trabalhar de forma ineficiente rumo à sua falência. É o resultado direto do suplemento limitado de óvulos com o qual a mulher nasceu.

O tic-tac do seu relógio biológico ovariano já começou a bater? Qual é a sua reserva ovariana? Muitos dos métodos usualmente utilizados para determinar a fertilidade feminina são incorretos e podem levar a tratamentos caros e ineficazes. Estes testes geralmente falham em mostrar a principal causa do declínio da fertilidade feminina: o envelhecimento dos ovários. Mais uma vez, é importante ressaltar: o envelhecimento dos ovários segue um ritmo totalmente desconexo do envelhecimento do restante do corpo da mulher.

Algumas mulheres se mantêm férteis nos seus quarenta, outras podem perder sua fertilidade aos vinte. Algumas pessoas têm que enfrentar doenças inesperadas e todas têm que enfrentar a idade, enquanto são pressionadas a postergar a gravidez por conta da profissão e encontros e desencontros de relacionamentos.

Uma avaliação com um especialista é importante no planejamento da vida familiar futura. Além disso, cada vez mais os oncologistas têm tido a consciência de orientar os pacientes sem prole definida a procurar ajuda no intuito de preservar sua fertilidade antes do tratamento para o câncer.