As Mudanças nos hábitos femininos e o Congelamento de Óvulos

Mudanças nos hábitos femininos

Um estudo realizado pela universidade de Yale, nos Estados Unidos, mostrou que mulheres inteligentes e bem-sucedidas vêm enfrentando dificuldades em constituir uma família pois há menos homens com mesmo nível intelectual e socioeconômico. Segundo o Banco Mundial, 70 países têm mais mulheres educadas em nível universitário do que os homens. Na Grã-Bretanha, a proporção de estudantes do sexo feminino subiu de 45% em 1985 para 54% em 2000.

O estudo reflete uma das faces de uma realidade que temos evidenciado nos últimos tempos. As mulheres têm adiado cada vez mais o projeto maternidade, seja por não encontrarem o parceiro ideal, por não terem tempo para pensar em ter filhos devido aos estudos e carreira, ou por, simplesmente, não estarem ainda preparadas para criar raízes.

Apesar dessas evidências serem muito positivas quando falamos no exponencial aumento da inserção da mulher em cargos altos nos âmbitos público e privado, devemos levar em consideração as implicações fisiológicas para as mulheres que desejam engravidar com idade mais avançada.

Mas e o relógio fisiológico?

É muito importante que as mulheres que desejam postergar a maternidade por algum motivo busquem ajuda especializada para avaliar em detalhes a reserva ovariana, principalmente quando fatores hereditários apontam para menopausa precoce. A taxa de fecundidade em mulheres entre 20 e 30 anos gira em torno dos 25%. Depois dos 35 anos, cai para menos de 10%. Com a perda progressiva dos oócitos, depois dos 40 anos a mulher apresenta um forte declínio da função reprodutiva.

Determinar quando cada mulher ultrapassa a fronteira entre a fertilidade e a infertilidade é um dos grandes dilemas que muitas enfrentam na vida, principalmente as que não conseguiram engravidar no seu momento biológico ideal. Este estado de “infertilidade” do ovário é o chamado “relógio biológico”, ou seja, quando o ovário começa a trabalhar de forma ineficiente rumo à sua falência. É o resultado direto do suplemento limitado de óvulos com o qual a mulher nasceu.

Alternativa: Congelamento de óvulos

Atualmente existe uma procura pelo congelamento social: mulheres que sabem que terão que postergar a gravidez por questões profissionais ou emocionais e optam por preservar sua fertilidade através do congelamento de óvulos quando ainda estão em quantidade e qualidade para garantir uma gestação saudável no futuro.

Embora não seja uma garantia, e sim uma alternativa, o procedimento pode ser a resposta para o dilema entre a ascensão profissional e o desejo de ser mãe; ou ainda a salvação para o tratamento de doenças que afetam o sistema reprodutor, como a quimioterapia para o câncer nos ovários.

 

Deseja entender melhor o assunto? Não perca tempo! Entre em contato conosco por aqui para agendar uma consulta com um especialista!

Compartilhar Artigo:

Deixe um comentário