Quero escolher o sexo do bebê!

Mas afinal, é possível escolher o sexo do bebê?

Muitos casais procuram clínicas de reprodução assistida com o objetivo de escolher o sexo do bebê, o que é chamado de sexagem. Seja porque já possuem um filho de um determinado sexo ou porque sonham em ter uma menina ou um menino, a pergunta é muito frequente nos consultórios dos médicos. Mas afinal, é possível escolher o sexo do bebê?  Sim, é possível, porém, desde que seja necessário para a saúde do bebê, ou seja, para evitar doenças genéticas ligadas ao sexo. No Brasil é ilegal a realização de tratamentos de reprodução humana assistida apenas com o objetivo de atender ao desejo dos futuros papais.

De qualquer forma, é possível definir o sexo do embrião antes de ser implantado no útero através biópsia embrionária e análise cromossômica das células biopsiadas, o chamado diagnóstico genético pré-implantacional ou PGD. O óvulo fertilizado pelo espermatozoide em laboratório durante a FIV (fertilização in vitro) desenvolve-se durante alguns dias antes de ser retirada uma célula, que é analisada para verificar a presença de alterações no número de cromossomas e, consequentemente, o sexo do embrião. Esta análise pode ser também de genes no intuito de prevenir a transferência de embriões portadores de doenças familiares específicas, carreadas por seus pais.

No entanto, como já comentado, no Brasil a seleção do sexo do embrião por meios científicos é proibida, e de acordo com o Conselho Federal de Medicina e do Conselho de Ética Médica, esta técnica deve apenas ser indicada em casos específicos para prevenir doenças relacionadas ao cromossomo X ou Y, sendo uma ferramenta importante, por exemplo, no caso de doenças genéticas que só se desenvolvem em bebés do sexo masculino, como a hemofilia e a distrofia muscular de Duchenne. Nessas situações, o exame permite que médicos e embriologistas escolham um embrião saudável do sexo feminino e implantam-no no útero da mãe, para que esta possa gerar um bebé saudável.

Além das estipulações acerca do assunto determinadas pelo CFM, é válido lembrar que esse exame possui um alto custo. Além de ser uma técnica extremamente complexa, é necessário um laboratório com equipamentos de ponta e profissionais altamente capacitados.

Muitas vezes o desejo em escolher menino ou menina faz com que o casal não pense nas consequências causadas pela escolha do sexo de um bebê, como por exemplo, o que fazer com os embriões que são do sexo não desejado após sua concepção, será que vale a pena?

Quer saber mais? Entre em contato conosco por aqui!

Compartilhar Artigo:

Deixe um comentário